Casos Clínicos

Levantamento de seio maxilar bilateral usando HAP-91 para colocação de implantes posteriormente

Dr. William de Simone e Dr. Anderson Muller

O paciente do sexo masculino, leucoderma, 46 anos, apresenta atrofia da crista alveolar bilateral por pneumatização do seio maxilar após perda dos elementos superiores posteriores.

Procedimento

Foi realizada uma radiografia panorâmica onde constatou-se a atrofia da crista alveolar em região de seio maxilar bilateral (fig. 1) impossibilitando a colocação de implantes.

O paciente foi informado sobre a cirurgia que deveria ser submetido, e o material a ser utilizado seria osso autógeno ou HAP-91. O paciente optou pela HAP-91, pois não necessita cirurgia para remoção de osso autógeno, com isso foi possível a cirurgia em um único local.

Realizou-se uma incisão de relaxamento na região canina e uma incisão em crista alveolar (fig. 2), o descolamento com afastamento do periósteo até a visualização da parede lateral do seio maxilar (fig. 3). Foi realizada a janela para acesso ao seio maxilar com broca diamantada esférica de baixa rotação e resfriamento com soro fisiológico (fig. 4).

Após o acesso do seio maxilar através da janela, foi cuidadosamente descolada a parede da janela e a membrana sinusal para o interior do seio maxilar (fig. 5), abrindo assim espaço para colocação da HAP-91 associado ao plasma rico em plaquetas (P.R.P.). (fig. 6).

A mistura HAP-91 mais o PRP foi cuidadosamente comprimida para o preenchimento dos espaços existentes no seio maxilar (fig. 7). Após o preenchimento foi colocado uma membrana de Hidroxiapatita (col.HAP-91) (fig. 8), para vedar a janela de acesso ao seio maxilar e, realizada a sutura (fig. 9).

Na prótese existente foi realizado um alívio para utilização durante o período de espera, de aproximadamente 8 meses.(fig. 10)

Foi realizada uma radiografia panorâmica após a cirurgia (fig. 11), onde verificou-se a distribuição do material empregado no interior do seio maxilar.

Oito meses após a primeira cirurgia, foi realizada uma nova radiografia panorâmica (fig. 12), e com a constatação radiográfica de formação óssea, foi realizada a cirurgia para colocação de implantes.

Inicialmente com uma trefina de 3 mm de diâmetro foi retirado do interior do seio maxilar um bloco para exame (fig. 13), e foi constatado que os fragmentos em ambos os lados de tecido ósseo com traves ósseas, continham HAP de permeio às traves ósseas e acúmulos de material amorfo basofílico com caractéres sugestivos de cristais, que por vezes estão incorporados às traves osteóides.

Foram colocados 5 implantes do lado direito superior (fig. 14) e 4 implantes dos lado esquerdo superior (fig. 15); todos com boa estabilidade.

Após 6 meses foi realizada uma panorâmica para verificar a qualidade óssea formada em torno dos implantes (FIG. 16). Constatou-se uma imagem duvidosa apenas em um implante em região de tuber lado direito superior.

Conclusão

A cirurgia para enxerto seio maxilar bilateral com HAP-91 associada ao uso de Plasma Rico em Plaquetas foi eficaz formando osso suficiente para suportar a colocação de implantes osteointegrados.